skip to Main Content

Entrega amigável

Uma boa alternativa para solucionar dívidas com o financiamento de veículos

Vantagens

  • Regularização de multas existentes no veículo e IPVA;
  • Retirada do CPF do titular e avalista dos órgãos de proteção ao crédito;
  • Emissão de carta de anuência para contratos protestados;
  • Paralisação das ações de cobrança;
  • Desistência da ação de Busca e Apreensão.

Entrega amigável

Com a entrega amigável o cliente ao devolver o veículo à instituição pode ter todo o saldo devedor liquidado, incluindo, débitos com multas que o bem possua, enfim, o mesmo abre mão do veículo e livra-se das dívidas, baixas as pendências financeiras em seu nome e tem a possibilidade de voltar ao mercado e fazer um novo financiamento que se encaixe às suas possibilidades financeiras.

Permanecer com parcelas em atraso e não realizar a opção de devolução amigável do veículo mantém o cliente com restrições financeiras em seu nome além do risco de ter uma ação judicial de Busca e Apreensão, o que o lhe traz vários transtornos quanto ao seu crédito no mercado que vão desde dificuldade em obtenção de empréstimos, perda de limite em sua conta corrente, e, problemas cíveis como impossibilidade de realizar contrato de locação e/ou compram e vendam de imóveis.

Além disso, com o ajuizamento de ação judicial seu débito aumenta consideravelmente, pois terão custas processuais, honorários advocatícios, despesas com leiloeiro, guincho e outras despesas processuais que vão somando à sua dívida e tornando o problema cada vez mais difícil de resolver.

Com a devolução amigável o custos são menores para o cliente e o banco, o que torna essa opção de negociação comum e viável para ambos. O modelo é bem simples e realizado através de análise de proposta que as empresas de recuperação de crédito enviam ao banco com informações sobre o veículo e débito que serão analisados e estando aprovada a proposta o cliente precisa somente assinar os documentos necessários à entrega do bem/transferência, o que geralmente resolve-se rápido e após a documentação formalizada é realizada a remoção do veículo para um leiloeiro credenciado da instituição financeira, com os custos dessa remoção arcados pelo credor, garantindo assim, maior comodidade ao cliente, já que normalmente é realizada a busca do cliente em sua residência sem a necessidade do mesmo locomover-se até um estacionamento para entrega.

Em momentos como este que vivemos atualmente com uma mistura de crise de saúde com financeira, muitos consumidores encontram-se com dificuldades para honrar seus financiamentos, isso vai se agravando com o tempo devido ao acumulo de juros, multa e novas parcelas que vão vencendo tornando o problema sem solução.

Enfim, numa negociação envolvendo a devolução amigável do veículo é importante olhar de forma mais ampla a solução que a mesma proporciona, uma vez que o cliente resolve sua pendência financeira com o banco, evita o aumento da dívida, baixa restrição financeira junto aos órgãos de proteção ao crédito, evita o ajuizamento de ação de Busca e Apreensão, livra-se de débitos que recaem sobre o veículo como multas, IPVA, licenciamento, dentre outros, deixa de receber acionamentos de cobrança e volta a ter crédito junto ao mercado para retomar sua vida financeira normalmente.

Um dos argumentos que muitos clientes se prendem é o fato de ter pagado muitas parcelas do veículo financiado, o que pode ser visto como um aluguel pela utilização do veículo pelo período que esteve com o mesmo, pois se utilizou o bem dado em garantia pelo período que esteve na posse do mesmo. O risco de manter-se com o veículo e ter a retomada judicial do veículo torna a situação do cliente devedor mais complicado ainda, já que terão outros custos envolvidos como falamos anteriormente, o que irá somar-se ao valor total da dívida e abatido do valor de venda do bem, o que geralmente deixa um saldo devedor em aberto que continuará sendo cobrado do cliente mantendo-se as restrições financeiras decorrentes do débito.

Observem a diferença de situações, em uma o cliente resolve o débito, baixa restrições e não tem custos com a solução, enquanto em outra (ação judicial) há aumento da dívida, incidência custas e despesas processuais, honorários advocatícios, despesas com guincho, estadia do veículo e leiloeiro somando-se tudo isso ao valor da dívida original para posterior abatimento do valor de venda do bem apreendido, o que na grande maioria dos casos deixa um saldo devedor e restrições financeiras que continuarão sendo cobradas.

Desde modo, podemos considerar que a Entrega Amigável é uma excelente forma de resolver a pendência financeira para ambas às partes, em especial, o cliente devedor que resolve de imediato seu problema financeiro e pode retomar suas atividades junto ao mercado sem maiores preocupações.